ALUNOS/EE

Dúvidas ???

Dúvidas ???

Dúvidas??? tem por missão responder a eventuais questões que possam surgir no âmbito da orientação e da mobilidade transnacional.

 

Alunos
Qual é a melhor escolha para poder vir a ter um bom emprego ?

A sociedade atual está em rápida e contínua mudança o que torna impossível antever as tendências do mercado de trabalho, mesmo a curto prazo. A melhor escolha é aquela em que existe um maior grau de coerência entre as características do estudante, as competências que adquiriu e as suas expectativas e as da família.

Onde posso informar-me sobre cursos superiores lecionados em Portugal ?

Para obteres informações relativamente ao acesso ao Ensino Superior, desde cursos, candidaturas, matriculas e inscrições deves aceder ao website do Acesso ao Ensino Superior.

Como descobrir a vocação para seguir estudos superiores ?

Ao longo do percurso escolar, em casos de dúvida, podes procurar apoio de um profissional de orientação, que te ajudará na tomada de decisão. Se esta opção não for preparada previamente, quando conheceres as notas dos exames nacionais, muitas vezes a pressa, o desconhecimento e a indecisão podem fazer com que acabes por tomar opções que no futuro podem trazer-te insatisfação.

O que são cursos de dupla certificação ?

É um modelo de educação e formação que confere certificação escolar e certificação profissional, com reconhecimento de competências para exercer uma ou mais atividades profissionais e de uma habilitação escolar, através de um diploma.

No final da orientação escolar e profissional que tipo de resposta obtenho ?

No final terás uma melhor noção de ti próprio, saberás quais são os teus interesses, as tuas melhores aptidões (o que fazes melhor) e ficas a conhecer melhor a tua personalidade (perfil de liderança, relação com os outros, se tens dificuldades em controlar as emoções, etc.). Também obténs a resposta sobre qual a melhor opção escolar e profissional que podes fazer, ficando sempre a decisão final ao teu critério.

 

Mobilidade
O meu diploma do ensino secundário e/ou do ensino superior será reconhecido noutro país europeu ?

A rede de Centros Nacionais de Reconhecimento Académico e Informação (NARIC) juntamente com a rede ENIC, cobre a área correspondente a todos os Estados-Membros da União Europeia, dos países do Espaço Económico Europeu e da Europa Central e do Leste.

A rede oferece aconselhamento e informação sobre o reconhecimento académico de diplomas e períodos de estudo realizados no estrangeiro.

Para mais informação, consulta o website ENIC-NARIC.

As minhas qualificações profissionais são reconhecidas noutro país europeu ?

Se pretendes deslocar-te no espaço da União Europeia e dos países do Espaço Económico Europeu, podes entrar em contacto com o Ponto de Referência Nacional para qualificações profissionais de forma a que te prestem informação sobre o reconhecimento das qualificações nacionais e certificados de habilitações profissionais no domínio coberto pela rede.

Para mais informação, consulta o website EUROPASS.

Posso candidatar-me a uma bolsa para estágio profissional noutro país da União Europeia ?

No Ploteus, na secção "Sistemas Educativos", encontras informação sobre oportunidades de obtenção de bolsas.

Se não fores elegível para as bolsas indicadas no Ploteus, podes contactar o Centro Euroguidance do país no qual desejas estudar ou trabalhar.

Onde posso informar-me sobre oportunidades de trabalho na Europa ?

Se pretendes trabalhar, estudar ou obter formação no espaço União Europeia/Espaço Económico Europeu informa-te no Centro Nacional de Recursos e Orientação do teu país e acede ao website daRede Euroguidance.

Também podes aceder ao website EURES, que acolhe a base da dados europeia de postos de trabalho e visa facilitar a livre circulação dos trabalhadores nos 27 países do Espaço Económico Europeu.

Onde me posso dirigir para obter mais informação?

De acordo com a sua área de residência, para poder obter mais informações e apoio para o seu educando, no processo de tomada de decisão do seu percurso escolar e profissional, pode dirigir-se aos seguintes serviços:

- SPO – Serviço de Psicologia e Orientação da escola que frequenta/agrupamento;
- UNIVAS – Unidades de Inserção na Vida Ativa;
- GIP – Gabinete de Inserção Profissional;
- Centro de Emprego;
- CNOs – Centros Novas Oportunidades.

 

Orientação ao Longo da Vida
Como é que a escola pode apoiar os alunos no processo de orientação? 

A rede de escolas públicas disponibiliza intervenções de orientação de acordo com os niveis etários e as necessidades de cada aluno. Os alunos são estimulados a pesquisar informação sobre o sistema educativo e formativo, as atividades profissionais; apoiados no processo de tomada de decisão e na preparação das transições entre ciclos de ensino e da escola para o mercado de trabalho.

Quem pode apoiar os alunos no processo de tomada de decisão?

É importante:

- A opinião dos professores. Eles conhecem quais são as capacidades e atitudes dos alunos e como os demonstram na sala de aula, em que falham e que qualidades os distinguem dos outros;
- A opinião dos Serviços de Psicologia e Orientação (SPO). Eles conhecem os alunos, as suas motivações, atitudes e capacidades. Consultá-los é uma medida acertada;
- A opinião dos pais e encarregados de educação. Conhecem a personalidade, gostos e preferências dos educandos e, também, o que fazem melhor ou pior. A sua opinião deve contar mas em nenhum caso devem pressionar e impor os seus desejos;
- A opinião do aluno. O seu educando deve aprender a conhecer-se a si mesmo, as suas capacidades, limitações, as suas preferências e a enganar-se e, se necessário, a mudar de percurso e a enfrentar o futuro sem medo.

Todos os alunos devem participar em atividades de orientação?

As atividades de orientação permitem o desenvolvimento de um conjunto de estratégias que vão ser utéis ao longo da vida, em diferentes fases do percurso educativo e profissional. Muitas das atividades podem ser efetuadas de forma autónoma,  por recurso, nomeadamente, a instrumentos de orientação online, podendo ser complementadas com o apoio do psicólogo da escola. A participação nestas atividades tem sempre um caracter voluntário.

O que envolve uma escolha profissional?

Conhecer as profissões é fundamental no processo de decisão, essa aquisição de conhecimento pode ser feita de várias formas, por exmplo:

- Leitura de manuais e guias específicos sobre informação profissional;
- Consultar manuais com informação de oferta de cursos de nível superior;
- Falar com profissionais;
- Pesquisar na Internet.

Qual é o principal objetivo da orientação?

O principal objetivo é apoiar os alunos no desenvolvimento de estratégias que lhes permita conhecerem-se melhor, gerir informação (pesquisar, validar, aplicar)  sobre o sistema educativo e formativo nacional e comunitário, explorar as profissões, tomarem decisões, interagirem com os outros de uma forma positiva, prepararem-se para acederem ao mercado de trabalho.

O que é a orientação ao longo da vida?

Orientação ao Longo da Vida refere-se a serviços e atividades destinados a apoiar os indivíduos de todas as idades e em qualquer momento da sua vida nas escolhas educativas, formativas e profissionais, bem como a apoiar na gestão da carreira.

Quem pode prestar os serviços de orientação ao longo da vida ?

Os serviços se orientação ao longo da vida podem ser disponibilizados pelas escolas, universidades, instituições de formação, serviços públicos de emprego, empresas, sector comunitário ou de voluntariado, ambos no setor público e privado.

Qual é o papel da orientação ao longo da vida ?

A orientação ao longo da vida tem como objetivos:

- Capacitar os cidadãos para uma gestão eficaz do seu percurso educativo e profissional;
- Facilitar as transições  entre ciclos de estudo; do sistema educativo para o sistema formativo e vice versa; da escola para o mercado de trabalho; do desemprego para o emprego; de um emprego para outro emprego;
- Promover a mobilidade ao longo do percurso educativo e profissional.

 

Pais e a Orientação ao Longo da Vida
Quais são os principais momentos de tomada de decisão do percurso escolar do meu educando?

Os momentos determinantes no percurso escolar do seu educando são o 9.º ano de escolaridade e o 12.º ano de escolaridade.

No final do 9.º ano de escolaridade, os alunos têm de escolher o curso e a escola que pretendem frequentar a partir do 10.º ano de escolaridade, pressupondo uma decisão entre uma via de continuação de estudos ou uma via profissionalizante de dupla certificação.

Após a conclusão do 12.º ano, quer através dos cursos científico humanísticos, quer pelos cursos profissionalizantes, o seu educando pode escolher um percurso escolar e/ou profissional.

A orientação escolar e profissional é só para quem pretende seguir estudos universitários?

Não, a orientação ao longo da vida é para que qualquer aluno(a) escolha informadamente a profissão a que se vai dedicar no futuro, para que consiga obter uma qualificação.

O percurso escolar que seguir após concluir o 9.º ano de escolaridade ou habilitação equivalente será definitivo?

As decisões tomadas no final do 9.º ano são vinculativas, mas não são irreversíveis. É sempre possível reformulares a tua escolha. Qualquer que seja a tua escolha, o mais importante é que estabeleças os teus objetivos e faças tudo para os alcançar.

O meu educando deve seguir para o ensino superior?

O seu educando não precisa, necessariamente, de optar por um curso superior para ter uma profissão e se inserir no mundo do trabalho. Também existem as carreiras técnicas que são muito mais práticas e pode permitir-lhes uma inserção, imediata, no mundo do trabalho e se for essa a sua opção continuar, no futuro, uma carreira universitária.

Como posso ajudar na orientação escolar e profissional do meu educando?

Os adolescentes não estão preparados, a cem por cento, para decidirem o que vão fazer com as suas vidas, escolar e profissional. Geralmente são muito dispersos, gostam de muitas profissões ou deixam-se influenciar pelos amigos, é por isso fundamental o papel dos pais e encarregados de educação, não devendo ser nem protetores nem autoritários, o seu papel deve ser orientar e acompanhar o seu educando para que tome a melhor decisão.

Como posso ajudar o meu educando no processo de tomada de decisão?

A melhor maneira de aceitar a decisão do seu educando é acompanhá-lo no processo de escolha e apoiá-lo nas suas opções. Com o objetivo de apoiar o seu educando na tomada de decisão, pode:

- Conversar com ele sobre gostos, interesses, motivações, etc.;
- Partilhar o processo pessoal de descoberta profissional;
- Facilitar o acesso a informação relacionada com as profissões, por exemplo, falar com familiares, visitar empresas para falar com profissionais;
- Orientar em vez de pressionar uma escolha baseada em médias de acesso/facilidade de emprego/prestígio associado à profissão, etc.

Como lidar com o fator económico para que o meu educando frequente o curso que pretende?

Deve saber que os adolescentes são conscientes das coisas, a ideia não é dizer-lhe que não há dinheiro, mas sim ajudá-lo a ver quais são as possibilidades da família para financiar-lhe o curso e de que forma o seu educando pode contribuir, não necessariamente trabalhando, mas sim esforçando-se por conseguir uma bolsa de estudo, por exemplo.

O que devo fazer se o meu educando não sabe que curso e/ou profissão seguir?

Uma vez recolhida informação suficiente para escolher que estudos seguir face ao futuro profissional, vale a pena que o estudante e os pais ou encarregados de educação se centrem em:

- Analisar as capacidades – fazer uma lista das disciplinas em que teve melhores notas, as disciplinas que eram para si mais atrativas, etc.;
- O que é que gosta mais – encontrar trabalho é difícil em quase todas as profissões, assim que, à hora de escolher cursos, o principal será que goste;
- Cuidado com as profissões com “prestígio” – parece que as possibilidades se reduzem a poucas profissões conhecidas – Direito, Medicina, Arquitetura, Jornalismo, entre outras;
- As profissões com futuro – fala-se de cursos que têm boa saída. É bom conhecê-las, mas as que agora têm procura laboral, quando o estudante concluir o curso, podem estar saturadas;
- Pode sempre voltar atrás – reorientar uma vocação frustrada e fazer melhor na “segunda oportunidade”;
- O que não pode acontecer é o jovem ser pressionado a fazer uma escolha que não lhe agrade, que poderá condicionar o seu projeto profissional e de vida;
- A realização de testes são uma boa alternativa, mas deve ter em consideração que as opções que forem identificadas não são definitivas, são apenas uma orientação para que o adolescente comece a procurar e recolher a informação necessária que o leve a tomar uma decisão fundamentada;
- Outra forma é avaliando as habilidades que tem, se é bom no desporto, nas artes, entre outras, e é também muito importante conhecer o seu projeto de vida. Pergunte-lhe como se vê daqui a 10 anos com a profissão que decidiu escolher e dar-lhe-á uma ideia se está a tomar a decisão correta.

Qual a profissão adequada para o meu educando?

O seu educando deve refletir bastante antes de fazer a sua escolha, para diminuir a possibilidade de uma escolha não acertada, os pais e encarregados de educação devem procurar o equilíbrio, orientar sem direcionar a escolha. Devem participar oferecendo condições aos seus educandos para conhecerem, decidirem e, principalmente, respeitarem e apoiarem a escolha, mesmo que essa escolha não seja aquela profissão que foi sonhada, por si, para ele.

Como podemos perceber que o nosso educando tem vocação para a profissão que escolheu?

Quando os jovens conhecem a profissão, sabem onde podem trabalhar, conhecem pessoas relacionadas com a profissão e sabem quais são as instituições onde podem estudar para se formarem, são sinais de que os jovens têm um projeto profissional.

O que fazer se o meu educando pretender seguir uma profissão tradicionalmente feminina? O que fazer se a minha educanda pretender seguir uma profissão tradicionalmente masculina?

As atividades profissionais podem desenvolver-se de acordo com interesses e capacidades profissionais, sem depender do que tradicionalmente se espera do género masculino e feminino. É necessário haver diversificação profissional para uma igualdade real no mercado de trabalho. Se for a sua vocação deve apoiá-lo.